segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Não têm mais nada para fazer?

Relativamente a esta questão, já comentada pelo Rodrigo Saraiva, no PiarR, só tenho um comentário a fazer: Estes senhores da ERC não têm mais nada para fazer?
É normal uma entidade de direito público andar a espatifar os poucos recursos do nosso Estado endividado em reuniões que debatem temas tão estéreis como este?
Vivemos num país livre. Se um entrevistado não quer conceder uma entrevista a um determinado jornalista não o faz, ninguém o obriga. Se não quiser responder a todas as perguntas do entrevistador não o faz, também não é obrigado.
Caberá aos editores e á direcção editorial de um Meio de Comunicação Social decidir se quer ou não indicar outro entrevistador. Será também da responsabilidade destes decidir se, no final da entrevista, têm matéria editorial relevante para publicação.
Na base deverá estar uma negociação transparente. É que há mais meios de comunicação social e há mais entrevistados (na maior parte dos casos).
São questões como estas que criam um temor reverencial infundado sobre a actividade dos jornalistas.
O papel do jornalista é ser curioso. O entrevistado tem que ter consciência de que não é obrigado a responder a tudo.

1 comentário:

Rodrigo Saraiva disse...

Cara Domingas Carvalhosa, um pequeno detalhe: PiaR é com o R maiusculo ;) digamos que é um porMAIOR que faz toda a diferença!

os motivos que arranjo para deixar um comentário e os cumprimentos :)
Rodrigo